Primeiros Socorros na Estética: Como proceder?

Primeiros socorros são os procedimentos adotados antes da chegada do médico, ou do profissional qualificado da área de saúde ou da ambulância,quando uma pessoa é vítima de qualquer acidente ou mal súbito.Anualmente, milhares de pessoas se acidentam nas ruas, rodovias ou em casa.

Na área da estética, não lidamos com pessoas doentes, e,muitas vezes, não nos preocupamos com algumas situações que podem acontecer no nosso dia a dia.

Pensando nisso, e por ser um tema pouco discutido, trago neste artigo alguns conceitos e uma reflexão sobre quais situações podem enfrentar os profissionais de Estética no seu quotidiano.

Quais são as ocorrências mais comuns?

Geralmente, são quedas, queimaduras, envenenamentos, cortes, choques, exigindo, assim, socorro imediato.É importante lembrar que, como adulto, você é responsável pela sua segurança e,muitas vezes, também pela segurança de terceiros, principalmente de crianças e idosos. Eles precisam e devem ser protegidos.

O socorro à vítima consiste sempre em:

  • Reconhecer que se trata de urgência;
  • Chamar o serviço médico;
  • Atuar conforme o seu conhecimento;
  • Assistir a vítima até que chegue o socorro médico.

É muito importante identificar se a situação é caso de urgência ou emergência. Mediante ao caso você deve:

  • Acionar o Serviço Médico,
  • SAMU,
  • Bombeiros;
  • Agir conforme o seu conhecimento;
  • Prestar assistência até chegada do serviço acionado.

Qual a definição de urgência e emergência?

  • Urgência: Situação que não oferece risco à vida;
  • Emergência: Oferece risco à vida.

O correto é sempre falar em risco de morte.  Afinal,estamos vivos!

O socorrista é a pessoa que presta socorro básico. Neste ponto, é importante prestar atenção em alguns pontos: Segurança, agir corretamente, tranquilizar a vítima e terceiros (familiares), controle de si e da situação, avaliar e sinalizar o local, garantir a segurança pessoal e evitar heroísmos.

Quais são as finalidades dos primeiros socorros?

  • Preservar a vida;
  • Restringir os efeitos da lesão;
  • Promover a recuperação da vítima.

Pensando no nosso dia a dia, no nosso consultório, devemos refletir sobre alguns pontos que podem ser riscos para o cliente.

Quais riscos o ambiente oferece?

Queda: O que é feito para diminuir o risco? Caiu. O que fazer?

Queimadura: O que é feito para diminuir o risco? Queimou. O que fazer?

Intoxicação exógena: O que é feito para diminuir o risco de ocorrência? O que fazer se acontecer?

Como proceder na ocorrência do evento?

Voltando a nossa prática clínica, é importante levar em consideração a organização do ambiente. Por exemplo, não deixar fios de equipamentos, extensões, tapetes que possam ser escorregadios, ou qualquer outro objeto ou acessório que possa atrapalhar o deslocamento do seu cliente na sala ou na recepção. Lembrando que nosso cliente pode ser gestante, idosos ou ter dificuldades de locomoção. Nosso ambiente deve ser o mais seguro possível.

Sabemos que alguns peelings químicos, alguns recursos eletroterápicos podem oferecer risco de queimadura. Diante disso, é muito importante trabalhar com substâncias químicas seguras e manter em dia a calibragem do seu equipamento e também o seu aperfeiçoamento. Se tiver dúvidas, procure estudar e se aperfeiçoar para manusear o equipamento em questão.

Infelizmente, algumas pessoas não fazem a avaliação de maneira correta, deixando escapar possíveis riscos de alergias, e, muitas vezes, não realizam testes para saber se o cliente é alérgico a determinado produto ou substância. Por isso, a avaliação e o termo de consentimento são importantíssimos, além da ficha de evolução.

Teve uma reação alérgica; Meu Deus, o que fazer?

Remova completamente o produto do rosto ou local, faça compressas com soro fisiológico (gelado de preferência), pode usar esferas cromoterápicas (devem estar previamente geladas).

Faça de tudo para acalmar a pele, a máscara calmante em gel também pode ser usada nesse processo. Se mesmo assim o caso for grave e a pele estiver com muito edema, encaminhe imediatamente ao médico, para que seja medicado de maneira adequada. Nunca prescreva medicamentos, o profissional habilitado é o médico.

Caso tenha alguma intercorrência mais grave, ou suspeita de que seu cliente esteja realmente passando mal, ligue imediatamente para o SAMU (192).

No momento em que o cliente entra na nossa clínica, somos responsáveis pelo seu bem-estar e sua segurança, por isso a ficha de avaliação deve ser preenchida de maneira detalhada.

Sabemos que algumas patologias têm contraindicação parcial ou total para alguns tratamentos estéticos. Por essa razão, em caso de hipertensão ou hipotensão, diabetes, epilepsia, patologias hepáticas, renal, entre outras devemos ter o contato do médico (isso inclui email e telefone) para que em casos de intercorrênciapossamos entrar em contato direto, ou em casos em que seja necessária a orientação e liberação do médico.

De maneira geral, devemos sempre estar de acordo com as normas da Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Corpo de Bombeiros. Participar de treinamentos de primeiros socorros também é importante, assim você saberá como agir na sua clínica, na rua, em casa…

Tenha sempre um kit básico, que inclua gaze, algodão, atadura e soro fisiológico.

Espero que tenha ajudado com essas dicas e reflexões.

Se você tiver alguma dúvida, deixe nos comentários.

 

Grade beijo!

 

Juliana Perardt

 

Juliana Perardt

Apaixonada pela Estética. Sou esteticista, geminiana, amante do rock ’n’ roll e corrida. Professora do Curso Superior de Estética. Ministro cursos de aperfeiçoamento destinados a profissionais de Estética, com 10 anos de experiência.

Website: http://www.julianaperardt.com.br