Saiba Tudo Sobre Fototerapia!

Olá Esteticistas e Profissionais de Estética!

Hoje vamos falar de um assunto que amo… Laser de baixa potência,que também é conhecido como laser frio!

O nome Laser é acrônimo da língua inglesa que significa Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação. Os comprimentos de onda é quem determinam as cores, ou seja comprimento de onda e cores são as mesmas coisas. Dentro do visível , o azul vai de 420 até 480 nm, o vermelho vai de 600 a 700 nm.

Diferenças entre Luzes.

  • Luz Halógena: conjunto de fótons, diversos comprimentos de ondas visíveis e invisíveis (cor branca), viajando em diversas direções;
  • Luz LED: conjunto de fótons, alguns comprimentos de ondas, viajando em diversas direções;
  • Luz Laser: conjunto de fótons, um único comprimento de onda, todos viajando numa única direção.

Classificação de Lasers

1.Alta Potência: Laser Cirúrgico

2.Média Potência: Laser e ILP

3.Baixa Potência: Laser e LED

  • Laser de Alta Potência pode chegar até 100°C, classificados como ablativos e empregados na estética e cirúrgica.
  • Laser Média Potência: gera efeito térmico concentrado nas áreas tratadas cuja temperatura se elevará em torno de 60°C. Têm indicação de tratar tecidos dérmicos, muito empregado na área da estética como fotodepilação, remoção de manchas, rejuvenescimento. Entra nesta classificação a Luz Intensa Pulsada.
  • A baixa potência não produz nenhum efeito térmico considerável e suas reações são basicamente de fotoestimulação celular. Laser e LED.

Características da Luz Laser

A luz de laser possui propriedades intrínsecas únicas que a diferenciam da luz branca normal. A Luz de laser é considerada coerente porque os fótons dos lasers viajam tanto temporal como espacialmente. Cada comprimento de onda da Luz é composto por fótons que estão viajando no mesmo tempo e espaço com uma única unidade de energia. Ela é composta por um único comprimento de onda e uma cor, que será visível ou invisível. Cada comprimento de onda específico de luz afeta o grau de penetração e a reação tecidual, e isso cria efeito único.

Principais Efeitos produzidos pela Laserterapia de baixa potência.

  • Na laserterapia de baixa potência predominam importantes efeitos terapêuticos os quais podem ser observados clinicamente, em especial a analgesia local, redução de edema, ação antiinflamatória e estimulação de feridas de difícil evolução.

Os efeitos fisiológicos dependem da intensidade e freqüência dos pulsos além do tempo de emissão sobre uma determinada área.

Os efeitos não térmicos produzidos por radiações Laser de baixa densidade de potência estão embasados na capacidade de produzir a normalização de diferentes processos metabólicos mediante a conversão da energia luminosa em energia bioquímica, inibindo ou estimulando processos de regeneração (Velez e cols., 1987) e transmissão de dor (Yuri e cols., 1986).

LED – Emissão de Luz por Diodo

A terapia LED envolve o mecanismo fotomodulação promovendo um tratamento seguro e indolor. A determinação do comprimento de onda é um fator determinante para obtenção máxima das respostas fotoquímicas. A absorção da luz por distintas moléculas de tecido é específica à radiação do comprimento de onda apropriado.

O LED é um dispositivo que não emite luz coerente, ao contrário do Laser. 

A terapia com LED, semelhante ao Laser de baixa potência, é eficaz, não invasiva, indolor e livre de efeitos colaterais, fácil de aplicar e bem tolerado por todas as idades e todos tipos de pacientes.

  • Efeitos fisiológicos

Cascata de sinalização celular desenvolvido pelo estímulo luminoso gerando mudanças na homeostase celular, alterações na ATP ou níveis de AMPc, modulação da síntese de DNA e RNA, modificações na permeabilidade da membrana, alcalinização citoplasma e despolarização  da membrana celular.

Todo este efeito resulta em melhor cicatrização, reabsorção edema, regeneração nervosa, aumento da proliferação de miofibroblastos, síntese de colágeno e a transformação de miofibroblastos em fibroblastos

Segundo PAPAGEORGIOU, KATSAMBAS E CHU (1999) a emissão nesses dois comprimentos de onda (azul e vermelho) apresenta ação complementar antiinflamatória e bactericida, sendo um tratamento efetivo e seguro para acne. A ação do Laser e LED na estimulação dos fibroblastos têm sido estudadas em muitas patologias, e vem sendo aplicada no tratamento de diversas enfermidades dermatológicas, dentre elas as estrias.

Whelan et al (2001) irradiaram culturas celulares com fibroblastos de ratos com LED (670 nm), e obtiveram aumento do crescimento celular e da atividade dos fibroblastos em 155%.

McDaniel et al (2002) demonstraram que a atividade do fibroblastos pode ser regulada por LED, estimulando a síntese do procolágeno em uma cultura de fibroblastos da pele humana, o que está intimamente relacionado com a melhora clínica significativa da textura da pele.

Contra-indicações para uso de Laser ou LED terapia:

Histórico de Fotossensibilidade. (dermatoses). Câncer de pele. História pessoal de Câncer no local. Gravidez. Glaucoma. Uso de ácido dermatológicos derivados da vitamina A (após 15 dias). Uso de Roacutam (após três meses). Uso de antibióticos (após 7 dias).

Indicações

Rejuvenescimento; Manhas; Acne; Estímulo à cicatrização; Estímulo de colágeno; Terapia Capilar; Pós e Pré – Operatório; Celulite; Gordura Localizada; Pós-Microagulhamento; Pós-Peeling; Pós-Laser Ablativo;

Laser Vermelho 660nm

Absorvido por substâncias presentes na mitocôndria de células superficiais (tecido epitelial e tecido conjuntivo subjacente); Aumento na síntese de ATP; Maior quantidade de energia, maior produção colágeno, elastina, etc ;

Laser Infravermelho 808nm

Absorvido por substâncias presentes na membrana plasmática de células mais profundas (tecido conjuntivo, tecido muscular, ósseo, cartilaginoso, etc); Alteração na permeabilidade da membrana com aumento na absorção de nutrientes, água e dermocosméticos; Ativação do metabolismo celular; Aumento na microcirculação periférica profunda (excelente indicação para ativação de linfonodos em pré e pós drenagem linfática);

LED Azul 470nm

Hidratação imediata; Segundo Paschoal (2010). a presença do P. acnes nos folículos sebáceos está intimamente associada ao desenvolvimento da acne inflamatória.Como parte de seu processo metabólico normal, essa bactéria Gram-positiva e microaerofílica sintetiza porfirinas, principalmente protoporfirina e coproporfinina, substâncias fotossensíveis que, ao absorverem a energia da luz, interferem nas reações químicas e metabólicas celulares. Quando a luz é absorvida pelas porfirinas ocorre a formação de espécies reativas de oxigênio (radicais livres) que inativam o P. acnes sem que ocorra a indução de resistência bacteriana.

LED Âmbar 590nm

Absorvido por ribossomos, responsáveis pela síntese de cadeias de aminoácidos; Aceleração na velocidade da síntese protéica (fibras colágenas, elásticas, etc); 

Protocolo Geral

  • Realização de anamnese e exame clínico detalhados.
  • A superfície a ser irradiada deverá estar necessariamente limpa, seca e hidratada.
  • Utilização de óculos de proteção.
  • O ângulo de incidência do raio deve ser o mais perpendicular possível para minimizar o espalhamento do raio no tecido.
  • Evitar áreas metálicas (remoção de brincos, piercings, etc).

Uau, gostaram do artigo?

Há muito tempo queria escrever aqui para para vocês sobre a Laser e LED terapia, os benefícios para a pele são fantásticos e eu sou uma apaixonada pelas luzes!

 

Deixe aqui seu comentário com alguma dúvida ou sugestão e se você gostou, compartilhe este artigo!

Grande beijo,

Juliana Perardt

Juliana Perardt

Apaixonada pela Estética. Sou esteticista, geminiana, amante do rock ’n’ roll e corrida. Professora do Curso Superior de Estética. Ministro cursos de aperfeiçoamento destinados a profissionais de Estética, com 10 anos de experiência.

Website: http://www.julianaperardt.com.br